domingo, 29 de julho de 2007

Gruta onde possivelmente São João Batista viveu


O arqueólogo britânico Shimon Gibson descobriu uma gruta a oeste de Jerusalém. De acordo com a tradição, São João Batista teria morado, pregado e batizado naquele local.

Na gruta há um entalhe típico da iconografia bizantina representando o Precursor do Messias.

Até o século V, o lugar foi objeto de culto católico, segundo se deduziria das inscrições. Foram extraídos cerca de 250.000 fragmentos de valor arqueológico.

Caso seja confirmada, é sintomático que a preciosa descoberta tenha ocorrido nos dias de hoje. Pois há analogias entre a pregação de São João Batista e a mensagem de Nossa Senhora em Fátima, nos tempos atuais.

O Precursor profetizou o fim de uma época e o início de nova, com a vinda iminente do Messias. Nossa Senhora anunciou em Fátima o fim calamitoso de nossa era de pecado e rejeição de Deus, e o início do reinado de seu Imaculado Coração.

Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas de 'Ciência confirma a Igreja' no meu Email

4 comentários:

  1. 1) Shimon Gibson, que descobriu essa caverna, diz que "PODE TER SIDO" usada por João Batista. Ele não afirma isso.
    2) Para o dito de que João Batista PODE TER USADO essa caverna, Shimon apega-se à um desenho com características bizantinas, do século V, portanto muitos séculos após o evento, em que ele aventa a possibilidade de tal desenho ser João Batista e o cordeiro a representação de jesus.
    3) O padre John P.Meyer, um estudioso sobre o assunto, aventa a possibilidade de Jesus ter sido um ALUNO de João Batista (Vide "um judeu marginal" do mesmo autor)
    4) A ciência NÃO confirma absolutamente nada. Aliás, para a ciência, João Batista tem evidências de sua existência, já Jesus sómente por critérios de constrangimento, uma vez que os ditos de Josephus já provaram-se falsos, os escritos de Plínio, Seutônio, etc, referirem-se à "cristãos" e não a Jesus, e assim por diante.
    Obrigado
    Mauro

    ResponderExcluir
  2. @ Mário

    O fato de ter havido ali um culto católico é sim uma evidência importante, no entando apenas quanto passar a história é que saberemos ao certo.
    Fora isso, existem duas referencias em Josefo sobre Jesus. Não elas não foram provadas falsas, nem foram confirmadas como verdadeiras. O problema é que uma delas glorifica tanto Nosso Senhor que parece que Josefo se converteu, o que é estranho. Além disso, está fora do contexto. Porém, existem diversas passagens na obra de Josefo fora de contexto, como se fosse uma concha de retalho. Porém, uma das passagens onde Josefo fala de Jesus é perfeitamente dentro do contexto.
    Plinio e Suetonio realmente não falam de Cristo. Mas... Porque você esqueceu de Tacito que o cita claramente?

    Para destruir o boato (que o acusava do incêndio de Roma), Nero supôs culpados e inflingiu tormentos requintadíssimos àqueles cujas abominações os faziam detestar, e a quem a multidão chamava cristãos. Este nome lhes vem de Cristo, que, sob o principado de Tibério, o procurador Pôncio Pilatos entregara ao suplício. Reprimida incontinenti, essa detestável superstição repontava de novo, não mais somente na Judéia, onde nascera o mal, mas anda em Roma, pra onde tudo quanto há de horroroso e de vergonhoso no mundo aflue e acha numerosa clientela" (Tácito, Anais , XV)

    Fora isso, se você é ateu e alguma coisa neste blog ou em nós católicos te incomoda, você não é obrigado a acessar nada.

    Tchau e Bênção!

    ResponderExcluir
  3. E IMPOSSIVEL JESUS TER SIDO ALUNO DE JOÃO BATISTA ,POIS JOÃO NASCERA APENAS 6 MESES ANTES DE CRISTO SEGUNDO DIZ A BIBLIA, E JESUS AOS 12 ANOS JA ESTAVA ENTRE OS DOUTORES ENCINANDO NO TEMPLO.JESUS NUNCA DEPENDU DOS ESINAMENTOS HUMANOS, PORQUE ELE ERA CHEIO DO ESPIRITO DE DEUS. POIS ELE ERA O VERBO QUE SE FEZ CARNE, ELE ERA O PROPRIO DEUS MENINO PODEMOS DIZER ASSIM.

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.