segunda-feira, 9 de outubro de 2017

O milagre eucarístico de Sokólka:
hóstia é tecido do coração de uma pessoa em agonia!

Carne e Sangue de Cristo no corporal
Carne e Sangue de Cristo no corporal
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Todos os dias, em todos os altares do mundo onde a Missa é dignamente celebrada, dá-se o maior dos milagres: a transubstanciação do pão e do vinho no verdadeiro Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo.

No entanto, ao recebermos a comunhão, podemos tocá-lO apenas pela fé, pois aos nossos sentidos é oferecida apenas a aparência do pão e do vinho.

Entretanto, uma discreta mas profunda ação da graça nos faz sentir que Cristo está aí. Ele nos fala, nos diz coisas ao coração, nos dá forças. É uma presencia ativa, eficaz, incomparável.

Virá o homem sem fé e dirá: “você está seguro disso? Você não estará enganado? Uma autossugestão quiçá? Olha bem, é pão que a comunidade partilha num ágape.

“Está muito bom, é uma festa e você acredita. Mas, onde está o cientista que prove que isso não é mais que um pão fraternalmente partilhado numa comemoração e por isso você sente o que sente?”

Na nossa época onde há necessidade de ver para crer, Nosso Senhor não deixa de fazer obras que desconcertam os homens a ponto de permitir que seu divino Corpo e Sangue sejam analisados em laboratórios.

E, os cientistas, às vezes sem fé, têm que reconhecer: isto é verdadeira carne de um homem!

E como os corações estão duros, esses milagres se repetem misericordiosamente.

Foi o que aconteceu recentemente em Sokólka, na Polônia, no domingo, 12 de outubro de 2008, logo após a beatificação do servo de Deus Pe. Miguel Sopocko (1888-1975).



O novo beato, em vida foi confessor e diretor espiritual de Santa Faustina Kovalska, quando a santa residiu no convento de sua ordem em Vilna, Lituânia (1933-36). Veja mais em Santa Faustina, apóstolo da Divina Misericórdia para um mundo cujos pecados clamam por punição

Durante a distribuição da Comunhão na Santa Missa na igreja paroquial de Santo Antônio de Sokólka, às 8h30, caiu a um dos sacerdotes uma Hóstia consagrada.

Ostensão do corporal com o Corpo de Cristo
Ostensão do corporal com o Corpo de Cristo
O sacerdote agiu segundo as boas normas litúrgicas, infelizmente cada vez menos respeitadas: interrompeu a distribuição da Comunhão, pegou na Hóstia e a colocou-a no vasculum.

Esse é um pequeno recipiente com água que se encontra normalmente ao lado do sacrário, servindo para o sacerdote lavar os dedos após a distribuição da Comunhão.

A Hóstia deve se dissolver nesse recipiente, perdendo a forma e deixando de ser o Corpo de Cristo.

No fim da Missa, a irmã Júlia Dubowska, sacristã da Congregação das Irmãs Eucarísticas, sabendo que a Hóstia consagrada levaria algum tempo a dissolver-se, a pedido do pároco Pe. Stanislaw Gniedziejko, despejou o conteúdo do vasculum noutro recipiente.

E colocou-o no cofre que se encontra na sacristia. Só a Irmã e o Pároco tinham as chaves do cofre.

Uma semana depois, no dia 19 de Outubro, a mesma religiosa foi ver o cofre.

Ao abrir a porta, sentiu um aroma delicado de pão ázimo.

Quando abriu o recipiente, viu a água limpa com a Hóstia a dissolver-se. Mas no meio dela havia uma mancha arqueada com uma cor vermelha intensa.

Lembrava um coágulo de sangue, com a forma de uma espécie de partícula viva de um corpo. A água permanecia incolor.

A irmã informou imediatamente o pároco, que veio logo com os sacerdotes locais e o missionário Pe. Ryszard Górowski. Todos ficaram surpreendidos e atônitos com o que viram.

Imediatamente notificaram o Arcebispo Metropolitano de Bialystok, Edward Ozorowski.

Esse se dirigiu a Sokólka juntamente com o chanceler da cúria, sacerdotes prelados e catedráticos.

Todos ficaram profundamente comovidos com o que viram. O arcebispo mandou proteger a Hóstia, esperar e observar o que iria acontecer.

Foto ampliada do divino Corpo e Sangue miraculosamente evidenciado
Foto ampliada do divino Corpo e Sangue miraculosamente evidenciado
No dia 29 de Outubro, o recipiente com a Hóstia foi transportado para a capela da Misericórdia Divina e colocado no sacrário.

No dia seguinte, retirou-se a Hóstia com a mancha visível da água, colocou-se num pequeno pano denominado corporal e destinado aos vasos sagrados e em seguida voltou a ser guardada no sacrário.

Assim se conservou a Hóstia durante três anos.

Até meados de janeiro de 2009, o fragmento da Hóstia alterada secou de forma natural e permaneceu como coágulo de sangue. Desde esse momento não mudou de aparência.

Exames científicos

Em Janeiro de 2009, o arcebispo ordenou que se fizessem análises pato-morfológicas da Hóstia. A 30 de março desse ano criou uma comissão eclesial para analisar o fenómeno.

O fragmento da Hóstia foi analisado pela Prof.a Dr.a Maria Sobaniec-Lotowska e pelo Prof. Dr. Stanislaw Sulkowski especialistas do Instituto de Anatomia Patológica da Universidade de Medicina de Bialystok.

Cada um agiu de forma independente do outro.

O trabalho de ambos foi regido pelas normas e obrigações definidas pelas diretrizes do Comité de Ética da Ciência da Academia das Ciências Polonesas.

Quando foram recolhidas as amostras para análise, a parte não dissolvida da Hóstia consagrada estava já embebida no tecido.

Porém, a estrutura de sangue acastanhado do fragmento da Hóstia não perdeu nada da sua clareza. Este fragmento estava seco e frágil, intimamente ligado à restante parte da Hóstia em forma de pão.

A amostra recolhida foi o suficiente para realizar todas as análises indispensáveis.

As análises foram descritas e fotografadas exaustivamente.

Os autores das análises
Os autores das análises
Os resultados das análises conduzidas independentemente se sobrepuseram perfeitamente.

Ambas concluíram que a estrutura do fragmento da Hóstia analisado é idêntica ao tecido do músculo do coração de uma pessoa viva, mas em estado de agonia.

A estrutura da fibra do músculo do coração e a estrutura do pão estavam interligadas de forma muito estreita, de forma impossível de ser realizada por ingerência humana (vide declaração da Prof.a Sobaniec-Lotowska na reportagem “O Milagre Eucarístico de Sokólka”, Lux Veritatis 2010. Em inglês em “Eucharistic Miracle of Sokólka” ).

As análises realizadas provaram que não foi adicionada nenhuma outra substância à Hóstia consagrada, mas que o seu fragmento tomou a forma de tecido do músculo do coração de uma pessoa em estado de agonia.

Este tipo de fenômeno não é explicável pelas ciências naturais.

Ele só faz sentido à luz dos ensinamentos da Igreja que nos dizem que a Hóstia é o Corpo do próprio Cristo transubstanciado pelo poder das Suas próprias palavras pronunciadas pelo sacerdote quando ordena de modo imperativo a consagração.

O resultado das análises anatomopatológicas datadas de 21 de Janeiro de 2009 foram incluídas no protocolo entregue na Cúria Metropolitana de Bialystok.

Até ali pode chegar a ciência. O reconhecimento do milagre é uma decisão de natureza religiosa que não cabe à ciência assumir. É responsabilidade da hierarquia eclesiástica.

E foi feito em comunicado oficial emitido pela Cúria Metropolitana da diocese de Bialystok.

Ele diz o seguinte:

“O acontecimento de Sokolka não se opõe à fé da Igreja, antes pelo contrário, confirma-a.

“A Igreja professa que, após as palavras da consagração, pelo poder do Espírito Santo, o pão se transforma no Corpo de Cristo e o vinho no Seu Sangue.

“Para além disso, trata-se de um chamamento para que os ministros da Eucaristia distribuam o Corpo do Senhor com fé e cuidado e que os fiéis O recebam com adoração”.

A ciência confirmou à Igreja mais uma vez.



Vídeo: O milagre eucarístico de Sokólka: hóstia é tecido do coração de uma pessoa em agonia!














(Fonte: Senza Pagare, segunda-feira, 19 de junho de 2017. Ver também Aleteia, Jun 23, 2017; e o site em polonés sokolka.archibial.pl)


MILAGRES EUCARÍSTICOS - VEJA MAIS EM:



2 comentários:

  1. MILAGRE é a única PALAVRA para expressar o meu sentimento.

    Hélcio Gonçalves da Silva
    Labrea - Amazonas
    B r a s i l

    ResponderExcluir
  2. Será somente pela FÉ plena e convicta que vivenciamos esta transformação do mistério magno da Santa missa !

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.