segunda-feira, 11 de abril de 2016

Livros de bronze conteriam a mais antiga
representação de Nosso Senhor Jesus Cristo na Paixão

Aspecto de um dos livros em análise
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Numa gruta de Saham, Jordânia, localizada numa colina com vista ao Mar da Galiléia, foram encontrados 70 livros do século I da era cristã que, segundo as primeiras avaliações, contêm as mais antigas representações do catolicismo.

Os livros têm a peculiaridade de serem gravados em folhas de bronze presas por anéis metálicos. O tamanho das folhas vai de 7,62 x 50,8 cms a 25,4 x 20,32 cms. Em média, cada livro tem entre oito e nove páginas, com imagens na frente e no verso.

Segundo o jornal britânico “Daily Mail”, 70 códices de bronze foram encontrados entre os anos 2005 e 2007 e as peças estão sendo avaliadas por peritos na Inglaterra e na Suíça.

A cova fica a menos de 160 quilômetros de Qumran, a zona onde se encontraram os rolos do Mar Morto, uma das maiores evidências da historicidade do Evangelho, informou a agência ACI Digital.

Importantes documentos do mesmo período já haviam sido encontrados na mesma região.



A gruta onde teriam sido encontrados
No local teriam se refugiado os primeiros cristãos de Jerusalém no ano 70 d.C. durante a destruição da cidade pelas legiões de Tito que afogaram no sangue uma revolução de judeus que queriam a independência.

Cumprira-se então a profecia de Nosso Senhor relativa à destruição de Jerusalém deicida e à dispersão do povo judaico.

Segundo o “Daily Mail” os acadêmicos que estão convencidos da autenticidade dos livros julgam que é uma descoberta tão importante quanto a dos rolos do Mar Morto em 1947.

Neles, há imagens, símbolos e textos que se referem a Nosso Senhor Jesus Cristo e sua Paixão.

David Elkington, especialista britânico em arqueologia e história religiosa antiga, foi um dos poucos que examinaram os livros. Para ele tratar-se-ia de uma das maiores descobertas da história do Cristianismo.

“É uma coisa de cortar a respiração pensar que nós encontramos estes objetos deixados pelos primeiros santos da Igreja”, disse ele.

São Simeão, bispo de Jerusalém
Com efeito, na época da desastrosa rebelião judaica, o bispo de Jerusalém era São Simeão, filho de Cleofás ‒ irmão de São José ‒ e de uma irmã de Nossa Senhora.

Por isso, São Simeão era primo-irmão de Nosso Senhor Jesus Cristo e pertencia à linhagem real de David.

Ele recebeu o Espírito Santo em Pentecostes. Quando o apóstolo Santiago o menor ‒ primeiro bispo de Jerusalém ‒ foi assassinado pelos judeus que continuavam seguidores da Sinagoga rompida com seu passado, os Apóstolos que ficaram escolheram Simeão como sucessor.

Os primeiros católicos ‒ naquela época não tinham aparecido heresias e todos os cristãos eram católicos ‒ lembravam com fidelidade o anúncio de Nosso Senhor que Jerusalém seria destruída e o Templo arrasado. Porém, não sabiam a data.

O santo bispo foi alertado pelo Céu da iminência do desastre e de que deveriam abandonar a cidade sem demora.

São Simeão conduziu os primeiros cristãos à cidade de Pella, na atual Jordânia, como narra Eusébio de Cesárea, Padre da Igreja.

Após o arrasamento do Templo, São Simeão voltou com os cristãos que se restabeleceram sobre as ruínas. O fato favoreceu o florescimento da Igreja e a conversão de numerosos judeus pelos milagres operados pelos santos.

Os livros geraram muita disputa
Começou a se reconstituir assim uma comunidade de judeus fiéis à plenitude do Antigo Testamento e ao Messias Redentor aguardado pelos Patriarcas e anunciado pelos Profetas.

Porém, o imperador romano Adriano mandou arrasar os escombros da cidade, e seus sucessores pagãos Vespasiano e Domiciano mandaram matar a todos os descendentes de David.

São Simeão fugiu. Mas, durante a perseguição de Trajano foi crucificado e martirizado pelo governador romano Ático. São Simeão recebeu com fidalguia o martírio quando tinha 120 anos. Cfr. ACI Digital.

Emociona pensar que esses heróicos católicos judeus tenham deixado para a posteridade o testemunho de sua fé inscrito em livros tão trabalhados.

O fato aponta também para a unicidade da Igreja Católica.

Philip Davies, professor emérito de Estudos Bíblicos da Universidade de Sheffield, disse ser evidente a origem cristã dos livros que incluem um mapa da cidade de Jerusalém.

No mapa é representada o que parece ser a balaustrada do Templo, mencionada nas Escrituras e que desapareceu quando as tropas romanas arrasaram o Templo no século I.

“Assim que eu vi fiquei estupefato”, disse.

“O que me impressionou foi ver uma imagem evidentemente cristã. Há uma cruz na frente e, detrás dela há o que deve ser o sepulcro de Jesus, quer dizer uma pequena construção com uma abertura, e mais no fundo ainda os muros de uma cidade”.

“Em outras páginas destes livros também há representações de muralhas que quase certamente reproduzem as de Jerusalém. E há uma crucificação cristã acontecendo fora dos muros da cidade”, acrescentou.


27 comentários:

  1. Magnífica descoberta! É impressionate mesmo, se os próprios descobridores se mostram "estupefatos" com o achado, quanto mais nós!
    A Santa Igreja de Deus certifica-se a cada dia, a cada descoberta, a cada avanço da ciência, quando esta se mostra honestamente.

    Parabéns, o blog fantástico.

    ResponderExcluir
  2. Já estou ansioso pelo próximo post. Magnífica descoberta, obrigado pelas informações!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo maravilhoso Blog.
    Já estou aguardando o próximo post!

    ResponderExcluir
  4. Maravilha estes achados,ainda nos dão mais FÉ de como JESUS, fez para nos dar mais força no seu AMOR,na sua LUZ divina,espero o próximo.Obrigado.

    ResponderExcluir
  5. Que Deus continue derramando suas bençãos e graças sobre este blog, para que muito sejam evangelizados e aumente mais a nossa fé.

    ResponderExcluir
  6. Não querendo ser Chato, mas crucificação era algo rotineiro naquela época. Bastava estar contra o governo que vc era simplesmente pregado na cruz. Afirmar que isso possa direcionar-se diretamente a Jesus é um sonho religiosos dos católicos, visto que já foi comprovado que existiram muitos protestos Judeus na época, inclusive na própria reportagem diz que muitos Judeus foram punidos com a própria vida. A forma de punições era a crucificação... este livro pode representar qualquer lider de alguma revolução da época, no qual as pessoas eram muito ligadas as tradições romanas e gregas. O uso no nome Jesus foi um dos que mais resistiram ao tempo. Pra mim, qdo descobriram que os Deuses gregos eram apenas alegorias dadas as movimentações da natureza, no qual o homem não entendia as variações naturais, começou a criacionar que haviam forças superiores em torno das lacunas não compreendidas pelo povo da época. E como os cultos aos Deuses eram predominantes e fugiam ao controle dos governantes da época, tiveram que entrar em uma concordância "religiosa" e acabar com as rebeliões... Dessa forma foi escolhido algumas biografias quaisquer e proclamaram Jesus como sendo o único messias portador da verdade absoluta e que fosse contra seria condenado por heresia. Com o passar do tempo já sabemos o que aconteceu... mortes, guerras, aldeias inteiras saquiadas e queimadas juntos aos moradores, etc... tudo isso em nome de Deus guiado pela "sabedoria" adquirida nas escrituras. Essas escrituras não provam Jesus, provam apenas como eram as leis romanas, no qual as punições eram a crucificação, chibatadas e sepultamento. Tambem mostram a morada e como vivia a civilização da época.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Revoltado sr. Anônimo.
      É bem interessante a sua revolta...
      Você diz: '' bastava estar contra o governo que era simplesmente pregado na cruz''. Isso mostra a sua falta de conhecimentos, pois Barrabás se colocou contra o governo e não foi pregado na cruz.Além deles temos o coletor de impostos que não foi pregado.
      Só uma perguntinha: Você já leu o livro? Não.
      Só pode dá opinião de tiver lido.
      Sabe ler grego, hebraico, aramaico??
      Com certeza não. Então vai procurar ler, entender o texto

      Sua ignorância é grande, pois diz:
      ''Essas escrituras não provam Jesus, provam apenas como eram as leis romanas, no qual as punições eram a crucificação, chibatadas e sepultamento. Tambem mostram a morada e como vivia a civilização da época.''
      O livro não fala de leis, pesquise melhor.

      Excluir
    2. Tudo bem, mas tudo o que você disse não passa de ESPECULAÇÃO e ACHISMO! Sim, milhares foram crucificados pelos romanos, mas SÓ UM RESSUSCITOU!

      Tivesse sido Jesus crucificado, morto e não ressuscitado, muito provavelmente, não teria mais nenhum seguidor hoje; como, aliás, ocorreu com muitos falsos messias de sua época. O que, realmente, deu impulso ao cristianismo nascente foi a notícia da ressurreição de Cristo; pois, ao ressuscitar dos mortos, ele provou que era Deus e o Messias há tanto tempo esperado.

      E a imagem do Santo Sudário é a PROVA arqueológica e científica, que a Providência Divina deixou para os nossos incrédulos dias de hoje, de que Jesus realmente ressuscitou; pois, ela nada mais é do que a FOTO RADIOlÓGICA e TRIDIMENSIONAL de um homem crucificado no exato momento da ressurreição; tanto que dá para ver até os ossos e as raízes dos dentes do homem do Sudário, devido a radiação emanada de seu corpo no momento da ressurreição. Considerado como o Quinto Evangelho tamanha coincidência com os Evangelhos Canônicos, ele confirma e atesta por inúmeras evidências científicas (como número de chibatadas, locais das chagas, coroação de espinhos, polens de plantas que só existem na região de Jerusalém, poeira incrustada na região dos joelhos, etc.) o relato dos Evangelhos. Como você pode ver em artigos publicados neste excelente site Ciência Confirma a Igreja e em muitos outros sites e videos do YouTube; como o incrível e sério documentário do Discovery Channel “O MISTÉRIO DO SANTO SUDÁRIO” e sua continuação “O SUDÁRIO DE TURIM”.








      Excluir
    3. E outra coisa: Não é tão fácil assim refutar a Bíblia!

      O que pode provar se foi Deus ou não que inspirou os autores bíblicos são as PROFECIAS e os MILAGRES da Bíblia; pois, homens podem inventar belas histórias e estórias, fazer registros e exagerar fatos históricos, mentir, escrever belas palavras, lindas poesias e sábios pensamentos, ou mesmo esquecer detalhes passados por tradição oral e cometer erros ou imprecisões durante uma cópia ou tradução de um texto original, etc.; menos fazer PROFECIAS e MILAGRES autênticos, isso somente Deus pode fazer!

      E, se tem uma coisa que a Bíblia está cheia (inclusive, o Livro do Gênesis), é de profecias e milagres; e é justamente isso, as PROFECIAS e MILAGRES autênticos, que tornam a Bíblia diferente de qualquer outro livro da humanidade e a Igreja Católica (a única fundada por Cristo, o Filho de Deus) diferente de qualquer outra religião do mundo (fundadas por meros homens mortais).
      Mas, será mesmo, que existem profecias autênticas na Bíblia escritas séculos antes de ocorrer? SIM!!! No artigo sobre "CRISTO" da Wikipedia, há dezenas de profecias do Antigo Testamento que foram cumpridas, integralmente, na pessoa de Jesus Cristo:

      "...
      Nasceria em Belém de Judá (Miqueias 5:2)
      de uma virgem (gr. phanteros) (Isaías 7:14)
      por intermédio de Deus (Salmos 2:7)
      descendente de Jacó (Números 24:17)
      da tribo de Judá (Gênesis 49:10)
      iria para o Egito (Oseias 11:1)
      surgiria da Galileia (Isaías 9:1)
      um mensageiro prepararia o seu caminho (Malaquias 3:1) clamando no deserto (Isaías 40:3)
      o Espírito de Deus iria repousar sobre Ele (Isaías 11:2)
      faria profecias (Deuteronômio 18:18)
      abriria os olhos dos cegos e os ouvidos dos surdos (Isaías 35:5)
      curaria os coxos e os mudos (Isaías 35:6)
      falaria em parábolas (Salmos 78:2)
      mesmo sendo pobre, seria aclamado rei, em um jumento (Zacarias 9:9)
      seria rejeitado (Salmos 118:22)
      traído por um amigo (Salmos 41:9)
      por trinta moedas de prata (Zacarias 11:12)
      moedas essas que seriam dadas a um oleiro (Zacarias 11:13)
      seria ferido e depois abandonado por seus discípulos (Zacarias 13:7)
      seria acusado injustamente (Salmos 35:11)
      seria ferido pelas nossas transgressões (Isaías 53:5)
      não responderia aos seus acusadores (Isaías 53:7)
      seria cuspido e esbofeteado (Isaías 50:6)
      seria zombado depois de preso (Salmos 22:7,8)
      teria os pés e mãos transpassados (Salmos 22:16)
      na terra dos seus amigos (Zacarias 13:6)
      junto com transgressores (Isaías 53:12)
      oraria pelos seus inimigos (Salmos 109:4)
      seria rejeitado e ferido por nossas iniquidades (Isaías 53:3:5)
      lançariam sortes para repartir as suas vestes (Salmos 22:18)
      o fariam beber vinagre (Salmos 69:21)
      clamaria a Deus no seu desamparo (Salmos 22:1)
      entregaria seu espírito a Deus (Salmos 31:5)
      não teria os ossos quebrados (Salmos 34:20)
      a Terra se escureceria, mesmo sendo dia claro (Amós 8:9:10)
      um rico o sepultaria (Isaías 53:9)
      assim como Jonas ficou três dias dentro do grande peixe (Jonas 1:17;Mateus 16:21;Lucas 11:30)
      Ele ressuscitaria (Salmos 30:3)
      no terceiro dia (Oseias 6:2)
      subindo também aos céus (Salmos 68:18;Atos 1:11)
      e sendo recebido pelo seu Pai, à sua direita (Salmos 110:1;Atos 7:55).
      …”.

      (...)

      Excluir
    4. (...) Prosseguindo, é lógico que poderíamos especular que muitas dessas profecias foram aproveitadas pelos autores do Novo Testamento para associar Jesus ao Messias esperado. Porém, algumas delas seriam impossíveis de serem forjadas, mesmo pelo próprio Jesus ou por seus seguidores; como, por exemplo, a profecia de sua crucificação. Mesmo porque, muitas dessas profecias sequer eram associadas ao Messias pelas autoridades religiosas judaicas da época de Cristo.

      Alguns céticos argumentam que Jesus poderia ser um charlatão que aproveitou-se de algumas profecias do Antigo Testamento para se intitular o Messias. Porém, poderia ele ter forjado a profecia de sua própria crucificação, um instrumento de pena de morte usado pelos Romanos?

      “E Iahweh respondeu-lhe: Faze uma serpente abrasadora e coloca-a em uma haste. Todo aquele que for mordido e a contemplar viverá.” (Números 21,8)

      “Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que seja levantado o Filho do Homem.” (João 3,14)

      “Porquanto cães me cercaram; a assembléia de malfeitores me rodeou; traspassaram-me as mãos e os pés. Posso contar todos os meus ossos; eles estão-me encarando e mirando. Repartem entre si os meus vestidos, e deitam sortes sobre a minha vestidura.” (Salmos 22,16-18)

      “Então o crucificaram. E repartiram as suas vestes, lançando sorte sobre elas, para saber com o que cada um ficaria.” (Marcos 15,24)

      “Ele, então, lhes disse: ‘Insensatos e lentos de coração para crer tudo o que os profetas anunciaram! Não era preciso que o Cristo sofresse tudo isso e entrasse em sua glória?’ E, começando por Moisés e por todos os Profetas, interpretou-lhes em todas as Escrituras o que a ele dizia respeito.” (Lucas 24,25-27)

      E a descoberta dos MANUSCRITOS DO MAR MORTO demonstrou que tais profecias, realmente, foram escritas séculos antes do nascimento de Jesus Cristo. E que, portanto, as profecias bíblicas são realmente PROFECIAS AUTÊNTICAS; as quais homem mortal nenhum tem capacidade de fazer (alguém sabe, com toda certeza, o que acontecerá ou se estará vivo ou morto daqui a um minuto?), mas somente DEUS!

      “CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ” (J.C.)

      “EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA” (J.C.)

      Excluir
  7. /\ dá pra enumerar os erros conditos neste comentário.

    ResponderExcluir
  8. Trata-se, de qualquer modo, de um achado muito importante. No entanto, não se tratará de uma obra coetânea dos primeiros tempos do cristianismo, mas bem mais tardia, possivelmente do século XV, se não posterior. Na origem não seria um livro (ou vários livros), mas folhas soltas, que posteriormente um "coleccionador" furou e prendeu umas às outras (creio que se nota o carácter mais recente dos furos, que fazem da colecção uma obra semelhante aos nossos "cadernos de argolas"). No meu entender, parecem chapas destinadas à impressão de estampas, a funcionarem soltas ou integradas em livro. Pela técnica (gravura em cobre me parece e não em bronze) e pelas gravuras que já vi em reproduções de livros do século XV e XVI relacionados com viagens à Terra Santa, enquadrando-se nos tempos iniciais da história da imprensa. Como referi, exigia-se um análise mais profunda, com imagens mais nítidas, se não a observação do original. Mas de qualquer modo, insisto, nunca será uma obra do tempo dos alvores do cristianismo.
    António Matos Reis

    ResponderExcluir
  9. nao acha muito cedo ainda para se afirmar qualquer coisa? tipo: dizer que NUNCA será uma obra dos primírdios do cristianismo?

    ResponderExcluir
  10. O comentarista deve ser protestante e desde já se nega a aceitar uma obra que ratifica o entendimento católico acerca do cristianismo.

    ResponderExcluir
  11. Fiquei muito feliz com a preciosidade encontrada. Sem sombra de dúvida haverá muita polêmica sobre essa descoberta, pois muitos se negam a aceitar as evidências, e com certeza farão de tudo para "embaçar" a verdade. Que esse "achado" seja uma obra da Providência DIVINA no reavivamento de nossa fé!!!

    ResponderExcluir
  12. Me desculpe o amigo ai de cima, mas o período em que você indica não haviam "cadernos de argolas" a impressão era feita com tipos metálicos e não com placas de bronzes e os arranjos com presilhas são ainda anteriores a Cristo. Basta comparar com documentos romanos semelhantes, se você vai falar besteira nem fale. Nenhum historiador faz a datação de um documento sem referências históricas ou arqueológicas. Realmente a crucifixão não foi aplicada somente a Jesus, mas a diversos outros inimigos de Roma, no entanto o símbolo da cruz sozinha, como também aparece no documento não era utilizado senão pelos cristãos. Além disto o ano de 70 ser muito sugestivo já que se tratava do início da expansão do cristianismo. Se você não acredita em Cristo não precisa ficar tentando encher de bobagens o blog dos outros.

    ResponderExcluir
  13. "David Elkington, especialista britânico em arqueologia e história religiosa antiga, foi um dos poucos que examinaram os livros. Para ele tratar-se-ia de uma das maiores descobertas da história do Cristianismo." E vem um comentarista anônimo "expert em comentários" pra desmentir o achado... kkkkkkkkkkkkk. Mais kkkkkkk que esse anônimo merece!!!

    ResponderExcluir
  14. Cada um analiza a preceito este "caso insólito", (em conformidade com a sua ética e opinião)
    que não passa de "sugestão infundada", pois os cujos ditos não são perítos na matéria. Outras "relíquias divinas" foram encontradas ao longo dos séculos (como por exemplo, O SANTO SUDÁRIO) e meticulosamente examinadas; provando-se que são autênticas. Evidentemente que cada
    um pode fazer a ilação que quizer... mas uma coisa é certa: A RELIGIÃO CATÓLICA É GENUÍNA e
    as outras não passam de ramificações e engendrações perpetradas pelos homens - segundo a sua
    crença. Não há garantias concretas neste e noutros achados... a ciência pode esclarecer
    muita coisa; mas nunca a Fé de quem tem fé.

    ResponderExcluir
  15. So existe um Deus minha gente.
    Pra q tanto egoismo????

    ResponderExcluir
  16. A igreja catlolica realmente e genuina.O problema sa na catolica apostolica romana. ler a biblia faz bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filho( A) a igreja é una, e todos os livros da biblia foram por séculos e séculos investigados, montados, traduzidos escritos a mão pra ta ai prontinha com zíper e tudo pra você ter a graça e a gloria de ler ela e buscar a santidade>Deus abençoe!!! Meu querido irmão(Â).

      Excluir
  17. Um convite para os ateus! Ateus não se privem de retornar para casa vocês são esperados por todos há uma festa e um grande banquete preparados pra comemorar em suas chegadas! Venham todos o pai não esquece o filho! Deixem que a mãe os tragam! deixem! Te amamos muito não corações sangram ao pensar em vocês quais são as mazelas que estão frequentado, nas noites escuras, com o frio e o medo tomando conta de suas almas. A dor que não curam apesar dos esforços dedicados dedicas contra ela! Estamos há sua espera! Dedicadamente todos os cristão católicos!

    ResponderExcluir
  18. Todos acima estão errados. . .

    ResponderExcluir
  19. mergulhem todos no infinito amor de Deus. Sintam-se constantemente amados e escolhidos por Deus. Pratiquem a caridade, alimentem a fé que cada um tem em sua alma. Amém!!

    ResponderExcluir
  20. Meu singelo e leigo comentário: apenas acho que após a crucificação de Cristo tudo que estaria veiculado a Seu nome deve ter sido muito bem preservado, apenas acho. Pois Cristo nao foi apenas mais um. Eu acredito sim em todas descobertas do Maior homem que cuja as palavras eram coerentes com as atitudes!! Fortalece mais a minha fé.

    ResponderExcluir
  21. Nenhum achado arqueológico vai aumentar ou reduzir a minha fé no Cristo morto e ressuscitado, mas fico muito feliz com essas descobertas porque é grande a legião dos que querem negar a autenticidade da Bíblia e do Cristianismo/Catolicismo e essas descoberta arqueológicas vêm sempre em socorro da Igreja pra provar o quão é verdadeira e autentica a Bíblia, o Cristianismo e o Catolicismo. A Divina Providência se incumbiu de guardar por séculos, ou melhor, milênios material tão rico para mostrar a autenticidade da fé cristã. Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.
    Damião Medeiros

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.