segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Jesus em 3D segundo o Santo Sudário:
um homem de uma beleza extraordinária e majestosa

Reconstituição em 3D do corpo de Nosso Senhor segundo o Santo Sudário.
Prof. Giulio Fanti e equipe da Universidade de Padua
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs








Giulio Fanti, professor de medições mecânicas e térmicas na Universidade de Pádua, Itália, conseguiu criar uma imagem em 3D, tridimensional, do corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo envolto no Santo Sudário.

“Consideramos que finalmente estamos diante de uma imagem precisa de como era Jesus nesta terra.

“A partir de agora não será mais possível retratá-lo sem levar em conta este trabalho”, explicou o autor, segundo informou “The Christian Post”.

Usando técnicas avançadas, o professor Fanti fez a reconstituição em 3D a partir das marcas na mortalha usada para envolver Jesus depois de sua morte na Cruz.

Fanti explicou sua obra como uma imagem “em tamanho natural, feita com base em medidas milimétricas tomadas do pano em que o corpo de Cristo foi envolvido após a crucificação”.

“Segundo os nossos estudos – acrescentou – Jesus era um homem de uma extraordinária beleza. Ele tinha um corpo esbelto mas muito robusto.

“Tinha 1m80 de altura, quando a altura média naquele tempo era de cerca de 1m65. E tinha uma expressão régia e majestosa”.






Aplicando às mesmas marcas a sofisticada projeção tridimensional, também foi possível computar as numerosas feridas no corpo flagelado do Homem do Sudário.

“São 370 feridas de açoites, sem considerar as laterais, que o pano não revela porque envolveu apenas a parte anterior e a posterior do corpo.

“Mas podemos supor pelo menos 600 golpes.

“Além disso, a reconstrução em 3D nos permite observar que, na hora da morte, ele pendeu para a direita, porque o ombro direito foi deslocado de modo tão grave que lesou os nervos”, registrou o jornal local Il Mattino di Padova.

O professor Giulio Fanti ensina medições mecânicas e térmicas na Universidade de Pádua e estudou o Santo Sudário durante muitos anos. A imagem tridimensional apresentada ao público é um de seus mais recentes trabalhos acadêmicos.




Em 2013, o professor Fanti publicou o livro Il mistero della Sindone (O mistério do Sudário, Rizzoli, pp.231), junto com o jornalista italiano Saverio Gaeta documentando as pesquisas feitas no Sudário e provando que é do tempo de Jesus e que tem todas as características da autenticidade.

Veja mais em: Mais modernos testes concluem que o Santo Sudário é do tempo de Jesus Cristo.

A escultura que reproduz em 3D a imagem do Santo Sudário foi apresentada no dia 20 de março (2018) no Palácio Bo, na Universidade de Pádua. Os resultados do estudo foram divulgados na revista internacional Peertechz de Ciências Forenses e Tecnologia, segundo informou a agencia ACIDigital.

Os especialistas trabalharam durante dois anos junto com o escultor Sergio Rodella.

Em declarações ao semanário italiano ‘Chi’, Fanti disse que “a imagem que se vê no Santo Sudário é a de Cristo morto crucificado. E agora a ciência também tem esta opinião.

“Nós estudamos há alguns anos a imagem deixada pelo corpo na tela usando a tecnologia mais sofisticada em 3D. A escultura é o resultado final”.




O professor Gianmaria Concheri, que participou da pesquisa, explicou que “para construir o modelo em 3D, utilizou-se um método iterativo para chegar a uma aproximação, envolvendo um tecido semelhante ao do Santo Sudário ao redor de um modelo tridimensional de um corpo humano ideal”.

Esse processo tecnológico para “decalcar” a imagem do Santo Sudário foi sendo refeito até que as medidas do modelo tridimensional coincidissem com a parte frontal e dorsal do tecido.

Em seguida, foi construído um esqueleto metálico que representava a posição do corpo e foi moldado progressivamente até conseguir chegar ao resultado final.

A Universidade de Pádua julgou que este trabalho revela que a figura humana refletida no Santo Sudário “tem uma notável rigidez cadavérica, tem uma postura igual a de um homem crucificado cujos braços foram acomodados para a sepultura”.





“O alongamento da extremidade superior direita e a redução do ombro direito confirmam a hipótese de que o homem do Sudário sofreu um trauma grave no pescoço, no tórax e no ombro, provavelmente caindo sob o peso da cruz com a consequente luxação do ombro e paralisia do membro direito”, completou.

Por sua vez, Matteo Bevilacqua, cientista que também participou do trabalho, manifestou que “o mais surpreendente é que o corpo de Jesus se tornou quase imediatamente rígido e permaneceu incorrupto até o momento da Ressurreição.

“A explicação poderia estar nas cem libras de mirra e aloés trazidas por Nicodemo, substâncias conhecidas desde a antiguidade pelo seu poder conservador e antidecomposição”.






6 comentários:

  1. Jesus é Deus, por isso a corrupção não corrompe os tecidos do seu corpo.

    Muito obrigada pela postagem.

    ResponderExcluir
  2. Que trabalho fantástico! Aqui pode-se dizer com todas as letras que "Ciência confirma a Igreja!" A honestidade intelectual também nos conduz a uma fé madura. Louvado seja Deus!

    ResponderExcluir
  3. Encantada com a tecnologia que serviu para nos mostrar o Deus como era em corpo

    ResponderExcluir
  4. A verdadeira beleza de Jesus esta em ter fé. E feliz de quem crer sem ter conhecido e simplismente acredita, ajuda e ama seu proximo.

    ResponderExcluir
  5. Maus uma vez a ciência comprova a existência de Jesus que é Deus!

    ResponderExcluir
  6. DEUS SEJA LOUVADO! HOJE E SEMPRE... AMÉM! AMÉM! É LINDOOOO! E EMOCIONANTE!

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.