quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

A investida do evolucionismo contra a Bíblia e toda religião (2)

continuação do post anterior

Darwin percebeu que, sem um princípio e um fim, o homem ficaria escravo, como um bicho, ao capricho de sua fantasia e de seus instintos:

Um homem que não tem uma crença bem sólida na existência de um Deus pessoal, ou numa existência futura com retribuição e recompensa, não pode ter outra regra de vida, segundo me parece, senão seguir seus impulsos e seus instintos mais prementes, ou que ele acha os melhores”.

Esta conclusão, ele a enfeitou com sentimentos típicos do romantismo vitoriano do século XIX.

Sua crise religiosa, que descambou para a apostasia e para o anticristianismo, correu lado a lado com a explicitação do evolucionismo.



Então, não é de espantar que o anticristianismo se encontre entranhado no pensamento darwinista e de seus sucessores “neo-darwinistas”, embora pretendam que se trate de meras doutrinas científicas.

Bombardeou o conceito que o homem tem de si próprio

Diz um dos corifeus darwinistas hodiernos, o Prof. Dominique Lecourt, da Universidade da Sorbonne-Paris VII:
“Darwin estava bem ciente de que tirava o homem do centro, aproximava-o do animal, e entrava em conflito com a imagem de si próprio. [...] Darwin [...] confessou à sua mulher, muito piedosa, que sua teoria não concordava com o dogma cristão. Ele sabia que tinha fabricado uma bomba”.(3)
De fato, suas teorias serviram para dinamitar a visão racional da ordem do universo e sua procedência da criação.

Darwin também é tido como um dos fundadores do ecologismo, que exalta a vida tribal animalesca “integrada” numa natureza em perpétua evolução.

Interpretou o conhecido pelo desconhecido

Alfred Russel Wallace (foto) e Darwin foram co-inventores da teoria da seleção natural das espécies, peça-chave do evolucionismo.

Porém, Wallace manteve a crença numa inteligência diretora que presidiria a luta evolutiva. A partir de 1862, descambou para o espiritismo e o ocultismo.

Porém, Darwin permaneceu no agnosticismo naturalista materialista. Entretanto, sua linguagem recende a uma análoga procura de explicação do conhecido pelo desconhecido, pelo oculto.

No livro A filiação do homem, ele imagina que o homem descende de algum tipo de símio há tempos desaparecido; este, “provavelmente de um marsupial arcaico”; e este último, de uma ignota “criatura de tipo anfíbio”, por sua vez derivada de um ainda mais inidentificável “animal que se assemelha a um peixe”.

Quanto mais se aprofunda nas suposições de fenômenos inverificáveis, tanto mais Darwin adota uma linguagem próxima à de um adivinhador lendo numa bola de cristal.
Na obscuridade confusa do passado, podemos ver que o primeiro ancestral de todos os vertebrados deve ter sido um animal aquático dotado de brânquias, que possuía os dois sexos reunidos no mesmo indivíduo, tendo os mais importantes órgãos do corpo (como o cérebro e o coração) imperfeita ou nulamente desenvolvidos. Esse animal parece ter-se assemelhado às larvas dos ascidiáceos marinhos atuais”.(4)

Fontes bibliográficas no último post da série

Continua no próximo post

(Fonte: Catolicismo nº 704, Ano LIX, setembro 2009).

Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas de 'Ciência confirma a Igreja' no meu Email

2 comentários:

  1. Mas a Verdade do que acontece é palpável e muitas vezes a própria Igreja é "culpada!" Sou um Católico praticante e leio notícias nos Jornais (claro que tudo o que sai na Vcomunicação social não é credível)! Porque razão numa aldeia em Portugal o Padre se recusou a rezar a Missa das festas da aldeia, apenas porque num cartaz, apareciam umas raparigas de mini-saia, que faziam parte do grupo que ia actuar no dia da Festa a Nª Srª do Carmo?
    Porque razão se recusão a dar a Eucaristia a uma jovem de 16 anos só porque levava um decote talvez um pouco mais ousado?As pessoas na sua boa fé simples e sem maldade querem fazer e a Igreja, age como se estivesse na Inquisição! Claro que tem que haver respeito e moderaçao mas a Igreja precisa ser mais fexível! Afinal estamos no século XXI!
    Jesus perdoou a mulher adúltera, atendeu o centurião que tinha o servo doente!
    A Igreja tem que repensar valores que nada sgignificam para um Povo simples e fdesprovido de maldade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu comentário não tem nada a ver com o poste,


      Excluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.